Ceará: pela erradicação dos lixões*

Professor Resíduo
01:00:PM - 02/Aug/2016
Ceará: pela erradicação dos lixões*
g1.globo.com

Lixão do Ceará

02/08/2016 | 13h00

O Panorama dos Resíduos Sólidos no Brasil de 2012 revela que o Ceará produz diariamente cerca de 9 mil toneladas de lixo: o 2º maior produtor do Nordeste e o 5º do Brasil. Cada cearense produz uma média 1,098kg de lixo/dia. Há 280 lixões no Estado. Dos 184 municípios, 21 possuem coleta seletiva e só 10 têm aterros sanitários.

O governador do Ceará, Camilo Santana (PT), sancionou a Lei e a Política Estadual de Resíduos Sólidos. Ela objetiva a gestão ambientalmente adequada do lixo. Já foi lançado o Produto Selo Verde, que reduziu o ICMS de 17% para 7% para produtos que tenham em sua composição matéria-prima reciclada.

É preciso disseminar a ideia de que não existe lixo, mas o resíduo sólido reciclável, que forma uma cadeia produtiva, e o rejeito. Ao separar resíduos, o cidadão gera emprego e renda, pois ajuda catadores – beneficiados pelo atual governo com licenças ambientais simples e gratuitas – e os empresários do setor.

O Plano Estadual abrange todo o Estado, num horizonte de 20 anos, com revisões quadrienais. Objetivos: desativar e recuperar as áreas degradadas pelos lixões; desenvolver coleta seletiva; implantar logística reversa e compostagem de resíduos orgânicos; incluir os catadores e realizar capacitação continuada.

A Secretaria do Meio Ambiente (Sema) está elaborando Planos de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos de 11 regiões. Haverá planos de coleta seletiva em 92 municípios do Cariri e em três bacias hidrográficas estratégicas – Acaraú, Metropolitana e Salgado. A coleta seletiva nos níveis municipal e regional será construída com todos os segmentos, com sistema informatizado para divulgação de oferta e demanda de resíduos e aquisição de equipamentos e máquinas. A Secretaria das Cidades vai investir, até 2017, R$ 105 milhões na construção de Centrais de Tratamento de Resíduos e 

Ecopontos em 25 municípios do Vale do Jaguaribe e no Vale do Acaraú.

No Ceará, ainda sem total cobertura de saneamento básico, cuidar da correta destinação de nossos resíduos não só ganha ares de urgência, mas também é determinante para a saúde e um meio ambiente sustentável.
 
______________________
*Artur Bruno - Secretário do Meio Ambiente do Ceará
artur.bruno@sema.ce.gov.br