Porto Velho: Prefeitura faz parceria para resolver problema do aterro

Professor Resíduo
01:00:PM - 15/Mar/2017
Porto Velho: Prefeitura faz parceria para resolver problema do aterro
http://www.rondoniagora.com

15/03/2017 | 13h00

A prefeitura de Porto Velho busca alternativas para resolver o problema do aterro sanitário construído pelo grupo responsável pela Hidrelétrica Jirau, em Nova Mutum, distrito de Porto Velho distante 150 quilômetros da capital rondoniense, sentido Acre. Por causa da inércia da gestão municipal anterior, o local se transformou em um “lixão a céu aberto” e corre o risco de causar sérios danos ambientais.

Na tarde de última terça-feira (14) foi realizada uma reunião para discutir o assunto na Procuradoria Geral do Município (PGM), entre técnicos da prefeitura e representantes do grupo Energia Sustentável do Brasil (ESBR). 

A Prefeitura explicou que há um desentendimento relacionado a entrega ou não da operacionalização do aterro sanitário para o município. “A tensão é porque o aterro que deveria receber o lixo daquela localidade por 20 anos, hoje está praticamente esgotado”, lamentou o prefeito. Além disso, não foi assinado o termo de recebimento por parte da prefeitura para assumir a gestão do local, apenas um ofício.

Como alternativa para começar a resolver o problema, uma equipe foi formada para fazer os levantamentos necessários e apontar a saída. “A reunião foi produtiva. Nós criamos um grupo de trabalho bilateral (ESBR e prefeitura) com técnicos da Sema e da Semusb para que seja apontado um plano de recuperação desse aterro, e, daqui pra frente, possamos voltar a normalidade. Hoje, o que era um aterro virou um lixão, mas acredito que isso será revertido nos próximos dias”, declarou o prefeito.

O grupo inicia os levantamentos das necessidades do local já na próxima segunda-feira (20) e tem 60 dias de prazo para apresentar o resultado do trabalho e apontar soluções. Em seguida, serão implementadas as medidas necessárias para que o lixão volte a ser aterro sanitário. Inicialmente foi indicada a necessidade de cavar novas “células” para armazenar o lixo, além de cerca de proteção e portão na entrada.

Ainda de acordo com o compromisso firmado entre o prefeito e o diretor administrativo do empreendimento, todas as ações para que o local atenda as normas da legislação também serão feitas em conjunto.