BA: aterro sanitário de São Desidério está com 70% das obras concluídas

Professor Resíduo
10:00:AM - 31/May/2017
BA: aterro sanitário de São Desidério está com 70% das obras concluídas
Rodney Martins - jornaloexpresso.wordpress.com

31/05/2017 | 10h00

A prefeitura de São Desidério, município baiano, entra na fase final da construção do aterro sanitário, que conta com uma capacidade de 12,6 ton/dia e vida útil prevista para 20 anos. O projeto já se encontra com 70% da obra concluída. O aterro sanitário é custeado com recursos provenientes de um Termo de Compromisso Ambiental (TCA), firmado entre o município e um empreendimento agrícola.

Com uma área total de 11,51 ha, o aterro é composto por um prédio administrativo e guarita, acessos e pistas, células de resíduos sólidos urbanos (RSU), lagoas de acúmulo, reserva ambiental e ao longo de todo perímetro das instalações um cinturão verde que atuará como barreira física às operações realizadas e será formado por eucalipto e espécies nativas.

Além disso, será realizado constante monitoramento ambiental da área afim de evitar e/ou controlar possíveis contaminações no solo. As etapas primordiais da obra já foram concluídas, restando apenas alguns reajustes. A aposta é que no final de junho todos os trabalhos estejam finalizados.

 A previsão é de que no aterro seja instalado também um galpão de triagem para a coleta seletiva e para distribuir com mais eficiência os resíduos sólidos. 

 O prefeito que esteve na obra, no final da semana passada explica que o “respeito ao meio ambiente também é uma prioridade da nossa gestão, estamos em conformidade com a lei federal nº 12.305/2010 que determina ações como extinção dos lixões e dentre outras demandas. Vamos oferecer todas as condições necessárias para o pleno funcionamento do aterro, contribuindo para a qualidade do meio ambiente e para a saúde pública."

Os aterros sanitários possuem sistemas de proteção ao meio ambiente. “Atualmente, existem normas que regulam a implantação dos aterros, e uma dessas regras é a implantação de mantas impermeabilizantes que evitam a infiltração no solo. É necessário também que haja a retirada desse líquido, o chorume, por sistemas de drenagem eficientes”, finalizou.

De acordo com o secretário de Meio Ambiente “um dos grandes gargalos de uma correta destinação e tratamento do lixo está na etapa de coleta e separação, a Secretaria Municipal de Meio Ambiente – SEMMA estará iniciando esse trabalho de Educação Ambiental voltado à conscientização e instrução da população acerca da correta destinação do lixo, serão ainda instaladas as lixeiras seletivas que tornarão possível a separação dos materiais descartados.”