RJ: atraso nas obras de aterro sanitário público preocupa em Três Rios

Professor Resíduo
05:30:PM - 16/Jun/2017
RJ: atraso nas obras de aterro sanitário público preocupa em Três Rios
http://g1.globo.com

Atraso nas obras de aterro sanitário público preocupa em Três Rios, RJ

16/06/2017 | 17h30

Consórcio foi firmado entre Três Rios, Paraíba do Sul, Levy Gasparian e Sapucaia. Aterro era para ter ficado pronto em 2014.

Por dia cerca de 80 toneladas de resíduos são descartadas no lixão de Três Rios, no Sul do Rio de Janeiro. O local já era para ter sido desativado. Desde 2010 existe um projeto para construção de um aterro sanitário público. O consórcio foi firmado entre quatro cidades da região: Três Rios, Paraíba do Sul, Levy Gasparian e Sapucaia. Além de Areal e Petrópolis, na região Serrana.

O aterro para receber o lixo desses municípios era para ter ficado pronto em 2014. O presidente do consórcio e prefeito de Três Rios, Josimar Salles, explica que as atividades estão paralisadas. É que obra seria custeada pelo Governo do estado. O valor estimado de R$ 12 milhões nunca foi liberado."Atualmente nós temos uma dívida em torno de R$ 500 mil. Nós estaremos agora junto com os demais municípios equacionando essa dívida e paralisando as atividades", disse Salles.

A política nacional de resíduos sólidos determina que todos os municípios terão que desativar os lixões e substituir por aterros sanitários. Os prazos variam de acordo com o número de habitantes. Mas até 2021 o objetivo é que todo lixo produzido no país receba tratamento adequado. Em Três Rios, enquanto a situação do consórcio não se resolve, uma empresa está construindo um aterro particular que poderá receber os resíduos. A Câmara Municipal está preocupada com a obra e solicitou informações a prefeitura. "É uma preocupação muito grande nossa, como representante da população, com relação a proximidade, uma bairro populoso que é a Vila Isabel. A gente tem nascente nas proximidades, a lagoa do Caça e Pesca, o lago de Furnas. É uma área de preservação, é uma área de conservação. E a gente tá preocupado porque são dez anos que essa empresa possivelmente receberá resíduos de municípios grandes. Se ele não tiver sendo acompanhado da forma que é necessário que seja, pode dar muito errado. E é a nossa preocupação", disse Nilcélio Carvalho de Sá, presidente da Câmara.

De acordo com a prefeitura, a obra recebeu autorização e licença do Instituto Nacional do Ambiente (Inea). Como o lixão tem que ser desativado, o aterro particular poderá receber os resíduos da cidade, depois de uma licitação."Três Rios já está fazendo a licitação para a destinação dos resíduos sólidos da nossa cidade, que pode ser nesse ou em outro local", disse Josimar Salles presidente do consórcio e prefeito da cidade.

A Secretaria Estadual do Meio Ambiente disse que por causa da crise, a verba que seria repassada pelo estado para construção do aterro sanitário em Três Rios não tem previsão para ser liberada. Disse ainda que o Governo do estado se comprometeu a apoiar a liberação da licença ambiental para um aterro particular para que os municípios que ainda têm lixões em funcionamento possam ter uma opção para descartar os resíduos de forma correta.