Piauí: Barras inaugura aterro controlado e reduz impactos ambientais no município

Professor Resíduo
05:30:PM - 09/Aug/2017
Piauí: Barras inaugura aterro controlado e reduz impactos ambientais no município
Foto: Ascom/PMB

Máquinas trabalham no aterro controlado de Barras.

09/08/2017 | 17h30

Nesta semana a Prefeitura Municipal de Barras deu um passo importante na resolução de uma questão que há tempos perturbava a população: o destino do lixo gerado na zona urbana.

Na segunda-feira (07) foi dado início ao uso do aterro controlado de Barras, que irá dar um destino mais sustentável para os resíduos sólidos gerados pela população. Ao todo são 10 hectares de área previamente analisada por técnicos ambientais de Teresina e de Barras que possui os pré-requisitos básicos para a instalação do sistema de aterro controlado, como distante de moradias, longe de mananciais e terreno de solo argiloso, que bloqueia a penetração do chorume em camadas inferiores do solo.

O secretário de meio ambiente do município explica que a coleta de lixo se dará da mesma forma e conta como será o descarte dos resíduos solos no novo aterro do município. “O lixo será depositado em valas. Já abrimos a primeira vala, de 10 metros por 40, e cada camada vai ser compactada, como um sanduíche. Vamos colocar os resíduos sólidos, e depois uma camada de areia e um trator vai compactando, até a altura da superfície. Não haverá alto relevo, e quando estiver cheio vai ser aberta outra vala e aquela a vegetação vai brotar por conta própria”, diz o secretário.

A área adquirida pela prefeitura para a instalação do aterro controlado dará para realizar descarte seguro de resíduos por pelo menos 20 anos, sempre seguindo a sistemática descrita pelo secretário. Apesar de este ser um importante avanço para a proteção do meio ambiente e melhor bem-estar de moradores, que antes conviviam com a presença de insetos e com a fedentina, a prefeitura agora trabalha para implantar um aterro sanitário, que requer um investimento maior que será pleiteado junto a outros órgãos, como o Governo do Estado e Governo Federal.

A ideia é formar um consórcio com municípios vizinhos, no caso, o de Cabeceiras, mais próximo do local do novo aterro controlado, para sensibilizar as autoridades superiores e assim garantir o investimento necessário, já que a demanda de recursos é muito maior.
“O consórcio seria uma forma de motivar o Governo Federal para olhar com bons olhos pra esse nosso apelo e possibilitar a construção do aterro sanitário, que não é barato. Pra prefeitura fica um projeto muito oneroso então tem que ter ajuda federal”, diz o secretário.

Com o avanço garantido pela gestão, os impactos socioambientais causados pela presença de lixão em bairros periféricos de Barras serão eliminados, já que agora a população não terá acesso ao lixo despejado no local, e com o ato de enterrar irá reduzir a presença de vetores, como insetos e animais e a fedentina características de lixões sem tratamento adequado.

Informações: https://www.45graus.com.br