Sorocaba cai 22 posições em ranking ambiental

Professor Resíduo
10:00:AM - 16/Dec/2017
Sorocaba cai 22 posições em ranking ambiental
EMÍDIO MARQUES

Sorocaba obteve as priores notas em arborização urbana, biodiversidade e uso do solo

16/12/2017 | 10h00

Com pontuação de 83,13, Sorocaba caiu 22 posições e ficou em 29º lugar no Ranking Ambiental 2017 das cidades paulistas inscritas no Programa Município VerdeAzul (PMVA), da Secretaria de Estado do Meio Ambiente. Em 2016, a cidade ficou na 7ª posição e teve nota 95,25. Foram classificados 48 municípios que conseguiram atingir nota superior a 80 pontos.

Entre os 10 primeiros colocados no Ranking Ambiental 2017 aparecem duas cidades da Região Metropolitana de Sorocaba: Salto na 7ª posição, com 91,01 pontos, e Itu na 8ª com 90,35. Já o primeiro lugar foi para o município de Novo Horizonte, que somou 97,45. O resultado foi divulgado na última quarta-feira pela secretaria estadual e a premiação aconteceu na quinta-feira, no São Paulo Expo, na capital paulista.

Entre os 10 itens analisados, Sorocaba obteve a nota máxima (10) em apenas dois: Conselho Ambiental e em Estrutura e Educação Ambiental. Já a pior nota foi na categoria Arborização Urbana, onde a cidade pontuou somente 5,34.

A Prefeitura de Sorocaba afirma que o desempenho do município não foi o esperado e que é visível a dificuldade que muitas cidades tiveram em 2017, considerando que apenas 48 dos 645 municípios do Estado conseguiram certificação, ou seja, apenas 7%. "Já Sorocaba foi certificada", informa, por meio de nota.

O secretário do Meio Ambiente, Parques e Jardins, Jessé Loures, disse que irá priorizar suas ações para 2018 com análise criteriosa, com base nos pontos fracos identificados em 2017 e refletidos na pontuação de cada diretiva, bem como na melhoria dos processos.

Altos e baixos

Sorocaba iniciou a pontuação no primeiro Ranking Ambiental 2008 com 59,49 pontos, ficando em 118º lugar. E conquistou a primeira posição em 2013 somando 96,5 pontos. Desde 2008, quando o ranking começou a ser divulgado, ficou na terceira pior posição este ano (29ª), 33º lugar em 2009 e 118º na primeira avaliação. No período de 2011 a 2016, contudo, a cidade se recuperou e ficou em 3º lugar em 2011, subiu para 2º em 2012, para 1º em 2013, em 4º em 2014, e em 9º e 7º, respectivamente, em 2015 e 2016.

As ações propostas pelo PMVA compõem as 10 diretivas norteadoras da agenda ambiental local, abrangendo os seguintes temas estratégicos: Esgoto Tratado, Resíduos Sólidos, Biodiversidade, Arborização Urbana, Educação Ambiental, Cidade Sustentável, Gestão das Águas, Qualidade do Ar, Estrutura Ambiental e Conselho Ambiental.

Sorocaba obteve as três piores notas em três deles: Arborização Urbana (5,34), Biodiversidade (6,28) e Uso do Solo (6,85). Já as melhores foram nas categorias Conselho Ambiental (10), Estrutura e Educação Ambiental (10), e Resíduos Sólidos (9,64).

A colocação é resultado da avaliação técnica das informações fornecidas pelos municípios, com critérios pré-estabelecidos de medição da eficácia das ações executadas. A certificação reconhece a boa gestão ambiental municipal e garante à prefeitura premiada prioridade na captação de recursos do Fundo Estadual de Prevenção e Controle da Poluição (FECOP).

Segundo o coordenador do Programa Município VerdeAzul, José Walter Figueiredo, o PMVA é divulgado para que o poder público e toda a população possa utilizá-lo como norteador na formulação e aprimoramento de políticas públicas e ações sustentáveis.


Biólogo questiona avaliação do programa
O coordenador do curso de Biologia da Universidade de Sorocaba (Uniso), Nobel Penteado de Freitas, afirma que a avaliação feita pelo Programa Município VerdeAzul (PMVA) é questionável. Para ele, de um ano para outro, ou seja, em 12 meses não há grandes transformações ambientais, que efetivamente possam ser consideradas e avaliadas. "O ranking ambiental já cumpriu sua missão que era divulgar a questão do meio ambiente e colocá-la na pauta das políticas públicas dos municípios paulistas", diz Nobel.

Segundo o professor, os dados computados pelo PMVA são questionáveis. "Quando Sorocaba, por exemplo, ficou em 1º lugar em 2013, em grande parte foi por conta dos mega plantios realizados pela Prefeitura. Atualmente quanto dessas mudas realmente se transformaram em árvores?", indaga. Nobel afirma que a arborização urbana, a pior nota obtida pela cidade entre os 10 itens avaliados, ainda é uma questão que precisa ser melhorada. "Já o Esgoto Tratado e da Gestão das Águas Sorocaba melhorou bastante". Porém, segundo ele, o que preocupa é a falta de desassoreamento do rio Sorocaba, principalmente no trecho urbano. "Com a proximidade do período chuvoso, a cidade poderá sofrer mais este ano com as enchentes no caso dos temporais ou chuvas fortes", alerta.