Ano-Novo do Rio gerou mais lixo por pessoa entre maiores do mundo

Professor Resíduo
06:00:PM - 02/Jan/2018
Ano-Novo do Rio gerou mais lixo por pessoa entre maiores do mundo
JOSE LUCENA/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO/02.01.2018

Réveillon em Copacabana gerou 285,65 toneladas de lixo

02/01/2018| 18h00

Cada participante deixou 119 g de detritos; mais limpo é o de Sidney

Cariocas e turistas deixaram para trás 285,65 toneladas de lixo após as comemorações do Ano-Novo na praia de Copacabana, segundo a Prefeitura do Rio de Janeiro.

Isso significa, em média, o volume de 119 g de lixo por pessoa, levando-se em conta as 2,4 milhões que participaram da celebração na faixa de areia. Entre os maiores Réveillons do mundo, nenhum produziu tanta sujeira por pessoa quanto o do Rio de Janeiro.

Segundo a prefeitura, a quantidade de lixo coletada na cidade inteira após as festas chegou a 653,56 toneladas.

O volume de resíduos produzido por pessoa na praia de Copacabana é 4,5 vezes maior do que o dos festeiros na avenida Paulista, em São Paulo — onde 1,7 milhão de pessoas marcou presença no Réveillon e produziu aproximadamente 21,4 gramas de sujeira. Foram 36,5 toneladas de detritos coletadas no total, segundo a Amlurb (Autoridade Municipal de Limpeza Urbana). Coube a 458 agentes da prefeitura dar conta do trabalho de limpeza.

Para o advogado ambientalista Wladimir Antonio Ribeiro — que participa da elaboração do Plano Nacional de Resíduos Sólidos —, o grande volume de lixo produzido no Rio de Janeiro é um reflexo da época do ano.

—  Essa quantidade de resíduos tem mais a ver com a população sazonal do que com os hábitos dos cariocas. O Rio de Janeiro é um dos principais destinos turísticos no Brasil no fim do ano. Quando você recebe mais turistas, você tem mais pessoas consumindo e gerando lixo. Além disso, há um estímulo ao consumo de produtos que geram resíduos, daí o grande volume de embalagens e garrafas que vemos acumuladas nas praias.

Já na opinião de Fabrício Soler, advogado especialista em Direito dos Resíduos e presidente do Instituto Brasileiro de Resíduos Sólidos, falta aos cidadãos brasileiros — independentemente do local ou da ocasião — a consciência de sua responsabilidade na geração dos detritos: "Acho que a maior dificuldade das pessoas é entender que existe um serviço de coleta, separação, tratamento, reciclagem e transporte do lixo e que todos pagam por esses trabalhos. Hoje, a maioria das prefeituras embute este valor no IPTU, mas acredito que, se isso fosse cobrado individualmente, o efeito pedagógico [de ensinar as pessoas a descartar o lixo corretamente] seria mais eficaz junto à sociedade", diz.

Do Chile à Austrália
Em se tratando de América Latina, os paulistas se mostraram mais higiênicos do que aqueles que participaram do Ano-Novo em La Alameda, principal avenida de Santiago, capital do Chile. De acordo com a prefeitura local, as 400 mil pessoas que compareceram à festa produziram 35 toneladas de lixo ao todo. A média é de 87 g de lixo por pessoa.

Já no Ano-Novo da Times Square, em Nova York — considerado um dos mais badalados do mundo —, nem mesmo a temperatura de -12 °C intimidaram as 2 milhões de pessoas que se aglomeraram para assistir à famosa queda da bola. A multidão produziu aproximadamente 50 toneladas de lixo, segundo estimativa do Departamento de Saneamento da cidade. São 25 g de sujeira por pessoa, em média.

Em Londres, as comemorações em Westminster — que ocupa a maior parte da área central da cidade — renderam 85 toneladas de lixo, segundo o conselho local. Foram 15 mil garrafas de champanhe coletadas. A estimativa é de que 1 milhão de pessoas tenha participado das festas — o que significa uma média de 85 g de sujeira por indivíduo. O Westminster Council diz que 120 varredores participaram da organização de limpeza, com o auxílio de 15 caminhões de lixo.

Na dianteira dos Réveillons mais limpos do mundo vem a cidade de Sydney, na Austrália, que recolheu 43 toneladas de sujeira após as festas de boas-vindas a 2018, de acordo com dados oficiais. Dividido pelo 1 milhão de pessoas que participaram dos eventos, a média é de 43 g de lixo por indivíduo. O informe da prefeitura completa: “A operação de limpeza envolveu mais de 205 trabalhadores da cidade de Sydney, juntamente com 55 caminhões, varredores e compactadores. Adicionalmente, foram coletadas 128 lixeiras móveis, preenchidas com garrafas plásticas recicláveis, papel e recipientes para alimentos”.