Mudança de cálculo faz taxa do lixo aumentar até 272% em São Caetano do Sul

Professor Resíduo
02:00:PM - 06/Feb/2018
Mudança de cálculo faz taxa do lixo aumentar até 272% em São Caetano do Sul
AVPLAS - Industria de embalagens plásticas - Itajaí, Balneário

06/02/2018| 14h00

Neste ano, valor passou a se basear na metragem do imóvel.

A cobrança da taxa do lixo está causando polêmica em São Caetano do Sul, no ABC. Antes, ela vinha junto com o IPTU, dividida em parcelas. Só que, neste ano, a Prefeitura fez um estudo e um novo cálculo, que fez com que o aumento varie de 27% a 272%.

A taxa do lixo é cobrada na cidade desde 1977. Só que, neste ano, a Prefeitura transferiu esse serviço de cobrança para o órgão que cuida do abastecimento de água, o então Departamento e Águas e Esgoto (DAE) que agora passou a se chamar Sistema de Água, Esgoto e Saneamento Ambiental (Saesa).

Com a mudança, a taxa passou a vir na conta de água. A reclamação dos moradores é o novo cálculo para a cobrança da taxa do lixo, baseada na metragem do imóvel.

A Prefeitura de São Caetano encomendou um estudo à Fipe para calcular essa nova taxa. Em cerca de 60 mil casos, o valor da taxa caiu, mas em 35 mil residências aumentou até 272%.

Para se entender qual é a reclamação dos moradores, basta imaginar a seguinte situação: uma pessoa vive sozinha em um apartamento de 100 metros quadrados. Seu vizinho tem um apartamento com a mesma metragem, mas com mais quatro moradores. O primeiro produz muito menos lixo que a família que vive ao lado. Mas, pelo critério de cobrança adotado em São Caetano, ambos têm que pagar exatamente o mesmo valor.

No último dia 15, os moradores fizeram uma manifestação pelas ruas da cidade. Eles preparam um abaixo assinado, e até agora 7 mil pessoas já participaram. O documento vai ser entregue ao Ministério Público. Desde o dia 10 de janeiro o Saesa recebeu mais de 400 reclamações.
A Prefeitura de São Caetano disse que está recebendo as queixas e vai analisar caso a caso. Se for necessário, fará ajustes.