Prefeitura de Curitiba tira quase 5 toneladas de lixo dos rios por dia

Professor Resíduo
09:30:AM - 05/Apr/2018
Prefeitura de Curitiba tira quase 5 toneladas de lixo dos rios por dia
https://paranaportal.uol.com.br

05/04/2018| 09h30

De janeiro até o dia 13 março, as equipes de limpeza da prefeitura retiraram 289 toneladas de lixo dos rios.

De janeiro até o dia 13 março, as equipes de limpeza da prefeitura retiraram 289 toneladas de lixo dos rios de Curitiba que fazem parte de quatro das seis bacias hidrográficas da capital: Belém, Barigui, Atuba e Passaúna. O trabalho é realizado de segunda a sábado – foram 4,7 toneladas de lixo retiradas por dia de atuação das equipes.

Do total, mais de 60% do lixo foi retirado da bacia do Barigui, a maior delas. Entre os materiais coletados em toda a cidade, além do lixo comum, há geladeira, fogão, sofá, guarda-roupa, colchão, cadeira, bicicleta e carrinho de bebê, segundo a prefeitura.

“Guarda-roupa e colchão é corriqueiro a gente tirar dos rios. A população joga muita coisa. Vemos roupas de doação, sacolas de lixo. Em um trecho do Belém próximo de uma ocupação vi jogarem fraldas pela janela, direto no rio”, diz o chefe de serviço do Departamento de Limpeza Pública da Secretaria Municipal do Meio Ambiente, Rafael Garcia.

Segundo Garcia, só em fevereiro foram retiradas 15 toneladas de lixo no trecho do Rio Belém desde o Parque das Nascentes até o São Lourenço, no Norte da Cidade. Na CIC, na Região do Vitória Régia, foram outras 15 toneladas, no mesmo mês, de canais que deságuam no Barigui.

Média alta
De acordo com a gerente de limpeza do Departamento, Marina Ballão, o volume de lixo retirado está dentro da média. “No ano todo de 2017, foram retiradas 2,7 mil toneladas. Então, se você for ver bem, não é um número excepcional. Infelizmente, é um número que está dentro da média do que a gente tira de resíduos dos rios de Curitiba”.

Marina Bellão destaca os prejuízos acarretados por tanto lixo que não recebe o destino correto.

“A natureza vai cobrar seu preço. O lixo não desaparece. Ele segue o curso do rio e chega a hora em que se acumula em algum canto. Ele ocupa o lugar que a água ocuparia para escoar, e a água sempre encontra seu caminho. Muitas vezes, o rio tem enchentes, transbordamentos, por causa disso, porque a água não escoa em seu fluxo natural, porque tem lixo no leito do rio”, explica.

Como fazer o descarte
Antes de descartar móveis ou demais itens antigos – principalmente perto de rios – acione o 156, que agenda coletas. No mesmo 156, bens em bom estado podem ser doados via disque solidariedade para famílias e pessoas em situação de vulnerabilidade social.

O 156 também agenda coleta de resíduos vegetais (até 10 carrinhos de mão) e entulhos ou caliças (até 5 carrinhos de mão).

Bacias hidrográficas
Curitiba tem seis Bacias Hidrográficas: Atuba, Belém, Iguaçu, Barigui, dos Padilhas e Passaúna. Todas deságuam no Rio Iguaçu. A maior delas é a do Barigui que começa no norte da cidade, passa pelos parques Tingui, Barigui, Campina do Siqueira, CIC, Vila Barigui e encontra o Iguaçu na divisa com Araucária, na região da Caximba.

A bacia dos Padilhas passa pelas regiões do Capão Raso, Xaxim, Pinheirinho, Sítio Cercado, Bairro Novo e Osternack. A bacia do Belém, que leva o nome do rio que tem a nascente e a foz dentro de Curitiba, começa no Cachoeira, passa pelo Centro, Rodoferroviária, Vila das Torres, divide o Uberaba do Boqueirão e desce até o Iguaçu, na divisa com São José dos Pinhais.

A Bacia do Rio Atuba percorre as divisas metropolitanas nos limites de Colombo, Pinhais e São José dos Pinhais. A do Passaúna passa pelo noroeste e oeste da cidade nas regiões do Butiatuvinha, Riviera, São Miguel e Augusta.

No território de Curitiba a bacia do Iguaçu passa pelo Uberaba, pelo Parque da Imigração Japonesa, pelo Zoológico, segue ao Pinheirinho, Umbará, Ganchinho até a divisa com Fazenda Rio Grande.

Informações: https://paranaportal.uol.com.br