Ilha de Boracay, nas Filipinas, será fechada por 6 meses para conter poluição

Professor Resíduo
09:00:AM - 07/Apr/2018
Ilha de Boracay, nas Filipinas, será fechada por 6 meses para conter poluição
Charlie Saceda/Reuters

07/04/2018| 09h00

Governo pretende ainda demolir prédios ilegais e construir uma rodovia no local

O governo das Filipinas anunciou que fechará a ilha de Boracay a turistas por seis meses.

O objetivo da medida, que começa em 26 de abril, é permitir que a ilha passe por uma reabilitação, segundo afirmou o presidente, Rodrigo Duterte.

Em fevereiro, o mandatário também chegou a dizer que a ilha estava se transformando em uma fossa, por causa do despejo de poluentes no mar.

Autoridades detectaram 195 estabelecimentos que estavam despejando esgoto diretamente no mar, expondo banhistas à contaminação.

Nesse período, o governo pretende demolir prédios ilegais, construir uma rodovia para diminuir o trânsito no centro da ilha, converter mototáxis em carros elétricos e instalar um novo sistema de transformação de lixo em energia elétrica. O orçamento das mudanças ainda não foi anunciado.

O governo garantiu um fundo de emergência para sustentar os 30 mil habitantes da ilha, que trabalham principalmente com atividades ligadas ao turismo.

Serão cerca de US$ 34 milhões (R$ 112 milhões), valor considerado insuficiente pelo presidente do Congresso de Turismo das Filipinas, José Clemente.

Boracay é visitada por quase dois milhões de pessoas anualmente. Em 2017, o faturamento foi de US$ 1 bilhão (R$ 3,3 bilhões).

A Tailândia tomou decisão semelhante, em fevereiro, ao anunciar que Maya Bay, uma de suas praias mais visitadas, será fechada por quatro meses.

Informações: Folha de SP