Sem coleta, Prefeitura de SP pede para morador deixar lixo dentro de casa

Professor Resíduo
03:00:PM - 25/May/2018
Sem coleta, Prefeitura de SP pede para morador deixar lixo dentro de casa
Rivaldo Gomes - 8.fev.2017/Folhapress

Lixo acumulado em rua da Grande São Paulo durante greve na coleta de lixo em 2017; capital paulista suspendeu recolhimento nesta sexta (25)

25/05/2018| 15h00

Recolhimento de lixo está suspenso em função da crise de abastecimento

A coleta de lixo foi suspensa nesta sexta-feira (25) pela Prefeitura de São Paulo, em decorrência da paralisação dos caminhoneiros que provocou uma crise de abastecimento de combustíveis.

Em nota divulgada no fim da tarde desta quinta-feira (24), a gestão Bruno Covas (PSDB) e a Amlurb, empresa municipal responsável pela limpeza urbana, pediram que os munícipes evitem colocar o lixo para coleta enquanto os veículos seguirem sem combustível.

A varrição continua, mas será reduzida. Os cem Ecopontos para descarte de entulho, grandes objetos e recicláveis estarão fechados. Seguem em operação normal a limpeza de feiras, o recolhimento de animais mortos e a coleta de resíduos hospitalares.

Como não há previsão para a retomada do serviço, a recomendação é para que os paulistanos minimizem a sua produção para não criar um problema de saúde pública.

Quem mora em casa não deve colocar o lixo na rua, porque ele pode ser perfurado e se esparramar, atraindo insetos e animais vetores de doenças. Quem mora em prédio e costuma descartar o lixo no corredor ou em alguma área específica do edifício deve ajudar a preservar os espaços comuns, pelos mesmos motivos.

É possível reduzir o volume produzido de lixo doméstico de maneira expressiva. Os materiais recicláveis —papéis, plásticos, latinhas e vidros— são os principais responsáveis pelo tamanho do material descartado. Se forem separados de maneira correta e lavados para eliminar resíduos, podem ser destinados a um compartimento exclusivo, como uma lata e sacola, que não vão emitir mau cheiro ou atrair insetos.

Os resíduos orgânicos podem ter dois destinos: a tradicional lata de lixo, que levará mais tempo para encher se os recicláveis forem separados; ou a compostagem (reciclagem de materiais naturais para uso como adubo agrícola ou em jardins). Para essa opção, há no mercado bons sistemas de fácil manejo, como os que usam minhocas.

Com população estimada em 12 milhões de habitantes, São Paulo produz em média 18 mil toneladas de lixo por dia. Apenas de resíduos domiciliares, são recolhidas quase 10 mil toneladas diariamente, segundo a prefeitura.

A coleta na cidade é dividida em dois lotes e feita pelas concessionárias Loga (zonas oeste, norte, centro e parte da leste) e Ecourbi (zona sul e parte da leste). Cerca de 3.200 pessoas trabalham no recolhimento de resíduos na capital.

São utilizados mais de 500 veículos na operação, em sua maioria caminhões compactadores, que percorrem uma área de mais de 1.500 km² diariamente. Segundo o Sindicato Nacional das Empresas de Limpeza Urbana (Selurb), são consumidos cerca de 50 mil litros de combustível por dia.

O presidente do Selurb, Marcio Matheus, diz que a situação é semelhante nas demais capitais do país. "Em muitas só há estoque suficiente [de combustível] para fazer o trabalho até esta sexta. A situação não pode se estender ou teremos problemas ambientais e de saúde pública graves."
________________________________________
O que fazer com o lixo
1. Guarde
Sem a coleta, o saco de lixo pode ser perfurado e ficar exposto na rua, atraindo insetos e animais
2. Separe
Lavar os materiais recicláveis e colocá-los em local separado diminui o volume de resíduos e evita o mau cheiro
3. Faça compostagem
A prática reduz pela metade o lixo orgânico produzido; há no mercado bons sistemas de fácil manejo, como os que usam minhocas.

Informações: https://www1.folha.uol.com.br