Contra a lei, 129 municípios do Tocantins ainda mantêm lixões a céu aberto

Professor Resíduo
01:30:PM - 08/Jun/2018
Contra a lei, 129 municípios do Tocantins ainda mantêm lixões a céu aberto
(Foto: Reprodução/TV Anhanguera)

98% das cidades tocantinenses não conseguiram se adequar ao prazo do plano de resíduos sólidos

08/06/2018| 13h30

De 139 cidades, apenas três implantaram aterros sanitários e sete possuem aterros controlados. As prefeituras tinham até o ano de 2014 para extinguir os lixões.

Dos 139 municípios do Tocantins, apenas três implantaram aterros sanitários e sete possuem aterros controlados. Isso quer dizer que 129 ainda mantêm lixões, o equivalente a 92,8%. As informações são da Secretaria Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos. A falta de adequação contraria a lei federal sancionada em 2010. Pelas regras, as prefeituras tinham até o ano de 2014 para extinguir os lixões.

As cidades que têm aterros sanitários são: Palmas, Araguaína e Gurupi. Já as que têm aterros controlados são: Lavandeira, Santa Rosa, Brejinho de Nazaré, Dois Irmãos, Itacajá, Itapiratins e Colinas do Tocantins.

Para discutir a gestão dos resíduos sólidos, prefeitos, presidentes das câmaras e outros gestores participaram de um encontro no auditório do Tribunal de Contas do Tocantins. A reunião foi nesta quinta-feira (7). As instituições presentes assinaram um termo de cooperação técnica que determina que a situação será monitorada a cada seis meses, mas nenhum prazo novo foi fixado.

"Quando se pensou no evento, pensou de uma forma pragmática, sobre qual atuação a gente deve ter para forçar esses municípios a de fato implementarem esses aterros. Vamos cobrar o órgão ambiental, no caso o Naturatins, para fiscalizar, o Ministério Público, por meio de ações civis públicas. O grande problema dos aterros sanitários é não ter recursos nesses municípios para criar o aterro e operacionalizar", explicou o auditor do TCE, Ikaro Peres Cunha.

Informações: G1