Só quatro cidades do país tiveram nota máxima em ranking de acesso ao saneamento básico

Professor Resíduo
02:00:PM - 18/Jun/2018
Só quatro cidades do país tiveram nota máxima em ranking de acesso ao saneamento básico
Portal Saneamento Básico

18/06/2018| 14h00

Apenas as cidades de São Caetano do Sul, Piracicaba, Santa Fé do Sul e Uchoa, todas em São Paulo, conseguiram a nota máxima no ranking da Associação Brasileira de Engenharia Sanitário e Ambiental (ABES).

São cidades que já garantiram à população acesso universal a serviços de fornecimento de água tratada, coleta e tratamento de esgoto e  coleta adequada de lixo.

O estudo analisou a situação de 1.894 cidades que respondem por quase 70% da população brasileira. Apenas 80 cidades, menos de 5% do total, estão na categoria mais alta, rumo à  universalização.

A grande maioria, mais de sete a cada 10 cidades, aparece no grupo das que estão empenhadas em garantir o saneamento básico.  Para  Roberval Tavares de Souza, presidente Nacional da ABES, nesse ritmo, o Brasil não vai conseguir cumprir o compromisso de alcançar a universalização do saneamento básico até 2033. Para ele, o problema não é tratado como prioridade.

Para garantir a redução de R$ 0,46 no preço do litro do óleo diesel, o governo anunciou um corte de quase 4 bilhões de reais em áreas sociais, incluindo saneamento básico.

O ranking também relaciona os índices de saneamento com os indicadores de saúde das cidades. Em São Caetano do Sul, primeiro lugar no ranking dos municípios com mais de 100 mil habitantes, a incidência de doenças por veiculação hídrica, é 10 vezes menor que em Barcarena, no Pará, último lugar no ranking. Para Roberval, argumento suficiente para que saneamento básico seja pauta prioritária.

Segundo o ranking, o grande desafio do país é melhorar os serviços de coleta e tratamento de esgoto. O segundo maior problema é garantir a coleta e a destinação adequada do lixo.  Segundo a Unicef, a falta de saneamento adequado é responsável por 9 em cada 10 mortes de em crianças menores de 5 anos de idade em todo o mundo.

Informações: http://radioagencianacional.ebc.com.br