PERNAMBUCO: fiscalização encontra catadores em situação degradante em lixões

Professor Resíduo
03:40:PM - 08/Aug/2018
PERNAMBUCO: fiscalização encontra catadores em situação degradante em lixões
Foto: CPRH/Divulgação

08/08/2018| 15h40

Nos seis municípios visitados no Agreste de Pernambuco são insuficientes as iniciativas do poder público para gestão adequada dos resíduos sólidos

Catadores que retiram seu sustento de um trabalho em condições desumanas, sem equipamentos de segurança, em meio ao material descartado de forma inadequada em lixões a céu aberto. De acordo com a Agência Estadual de Meio Ambiente (CPRH), esta foi a realidade encontrada pela Fiscalização Preventiva Integrada (FPI/PE) nas zona rurais de Iguaraci, Tabira, Carnaíba, Tuparetama, Ingazeira e Afogados da Ingazeira, no Sertão do Pajeú.

Contrariando o que preconiza a Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS), nos municípios visitados são insuficientes as iniciativas do poder público para a gestão adequada dos resíduos sólidos. Tudo é gerado e destinado integralmente aos lixões, onde o lixo que se acumula é separado pelos catadores, que se expõem a riscos de saúde, uma vez que lidam com diversos tipos de resíduos, como restos de animais, lixo eletrônico contendo metais pesados e resíduos de serviços de saúde. Os lixões não são cercados e nem possuem controle de acesso de pessoas ou de animais.

Pontos em comum, em todos os lixões: a presença de catadores, a queima permanente do material depositado e a ausência do poder público nos locais. A contaminação do solo, do ar e dos recursos hídricos é visível, de acordo com a CPRH. A presença de vetores de doenças é uma realidade, especialmente quando se observa as moscas existentes.

Durante a fiscalização, os catadores mereceram uma atenção especial da equipe da FPI. Agentes da gestão dos resíduos sólidos não valorizados nem reconhecidos pelos gestores municipais, realizando seu trabalho em condições de extrema vulnerabilidade e sem nenhuma estrutura ou equipamento adequado. Nos seis lixões fiscalizados foram identificados cerca de 80 catadores que vivem do que conseguem retirar dos resíduos que a população descarta.

Informações: https://www.destakjornal.com.br