Conheça a empresa que transforma lixo em energia

Professor Resíduo
03:30:PM - 09/Aug/2018
Conheça a empresa que transforma lixo em energia
(Foto: The Venture)

A gestão de resíduos é um problema de muitos países – e a Gammakat trabalha para solucioná-lo

09/08/2018| 15h30

A Gammakat é do México e converte resíduos urbanos, industriais e agrícolas em gás, calor, vapor, eletricidade e diesel

O México produz 86 mil toneladas de lixo por dia e recicla apenas entre 8% e 10% desse material, como a maior parte dos países latino-americanos, inclusive o Brasil. Um problema gigante, para o qual a Gammakat propõe uma solução. 

A empresa fundada e dirigida pelos alemães Uwe Rulli e Oliver Hoffmann, há décadas residentes no país, encara o lixo como um negócio.
Sua missão é projetar, instalar e operar plantas e sistemas de reaproveitamento energético de resíduos industriais, domésticos e agrícolas para gerar economia e reduzir seu impacto ambiental.

A Gammakat aproveita até 85% dos detritos para a produção de energia, na forma de eletricidade, gás, calor, vapor e combustíveis sólidos e líquidos. 

A proposta é que as empresas deem um novo destino aos resíduos industriais e usem a energia gerada em seus próprios processos produtivos, alimentando caldeiras, movimentando sistemas de refrigeração e aquecimento ou produzindo iluminação.

Segundo estimativas da Gammakat, uma indústria pode economizar até 40% com energia e ter retorno sobre o investimento em um curto período de tempo.  As soluções oferecidas pela empresa também podem beneficiar governos municipais, que precisam lidar com um grande volume de detritos, levados para depósitos de resíduos a céu aberto e aterros sanitários.

Um dos grandes diferenciais da Gammakat é a tecnologia alemã para a produção do diesel sintético, mas esse sistema de reciclagem envolve altos investimentos e riscos, porque é diretamente afetado pela política econômica do governo em relação ao petróleo e seus derivados.

A empresa usa o processo despolimerização catalítica sem pressão, semelhante ao que ocorre na natureza, só que acelerado no tempo.  “Transformamos lixo em diesel sintético sem emissões de poluentes, sem poluição, em um processo escalável para qualquer tamanho, com alto impacto ambiental, social, político e econômico”, diz Rulli, CEO da empresa.

Sediada em Mérida, a Gammakat foi fundada em 2008 e acumulou uma série de fracassos até atingir o estágio atual. Primeiro, os sócios investiram $ 8 milhões (pesos mexicanos), cerca de R$ 1,6 milhão, para criar sua própria planta de produção de diesel, mas o projeto fracassou porque exigia um investimento mínimo de US$ 2,3 milhões e eles não conseguiram levantar o capital.

Rulli e Hoffmann decidiram então fazer uma mudança de rumo e começaram a oferecer serviços de projeto e desenvolvimento de plantas de reciclagem para terceiros. Mesmo com o novo enfoque, passaram vários anos de estagnação. Em 2016, a Gammakat esteve perto de quebrar. No ano passado, no entanto, fechou um contrato com um grande grupo mexicano de gestão de resíduos urbanos sólidos e, a partir daí, começou a atrair novos clientes.

Entre 2016 e 2017, a empresa construiu três plantas no México, com capacidade de processar 280 mil toneladas de lixo por ano. 

Em 2018, começou sua expansão internacional, com projetos para corporações no Panamá e em El Salvador. Somadas as plantas de reciclagem em território mexicano e estrangeiro, a Gammakat ajudará a transformar 428 mil toneladas de resíduos anuais, o que representa uma redução da emissão de 622 mil toneladas de CO².

Informações: https://revistapegn.globo.com