RESÍDUOS: moradores de Rio Verde são contra novo aterro sanitário

Professor Resíduo
11:15:AM - 01/Sep/2018
RESÍDUOS: moradores de Rio Verde são contra novo aterro sanitário
Foto: Divulgação

Habitantes também não querem que o lixo de outras cidades do entorno seja despejado em futuro aterro

01/09/2018| 11h15

Para moradores, área predefinida é muito próxima da região urbana

A implantação de um aterro sanitário coletivo tem gerado polêmica no município de Rio Verde de Mato Grosso, região norte do Estado. Grupo de moradores é contra, enquanto a prefeitura apoia e já autorizou a instalação. 

Diante dos protestos da população, recentemente a Câmara Municipal aprovou lei que proíbe a implantação do empreendimento pelos próximos cinco anos. Enquanto isso, a cidade e outros municípios da região permanecem sem local adequado para descartar os resíduos.

Tudo começou em 2017, quando uma empresa foi contratada para elaboração de um projeto conceitual de implantação do aterro sanitário onde funcionava uma antiga mineradora de argila, que fica em um corredor público, conhecido como estrada do Colégio Rural.

O local e a possibilidade de o empreendimento atender outras seis cidades foi o que gerou descontentamento entre os moradores de Rio Verde. “Nós não somos contra um aterro sanitário para receber nosso lixo, a gente é contra a vinda do lixo da região norte para nossa Rio Verde. Porque é uma área turística, e é a Bacia Pantaneira. Aqui, a gente não pode ter uma usina de cana, farinheira, justamente para não haver contaminação. E o local que escolheram fica a três quilômetros do centro, perto de hospital, de escola”, disse a representante dos moradores que são contra o aterro.

Na tentativa de impedir a instalação do empreendimento dentro das condições das quais discordam, os moradores criaram o movimento “Lixo do Norte Aqui Não” e ainda fizeram um abaixo-assinado no qual alertam para os riscos de contaminação, desvalorização imobiliária, mau cheiro e a proliferação de insetos e animais peçonhentos na cidade.

O Ministério Público Estadual (MPE) convocou então uma audiência pública para debater o assunto, a qual foi realizada no dia 30/08, na Câmara Municipal. Na reunião, os moradores voltaram a se manifestar a favor da implantação do aterro, desde que seja exclusivo para o município e esteja localizado a mais de 20 quilômetros da área urbana. 

O prefeito do município afirma que o movimento dos grupos é um ato político, uma vez que o local onde o aterro deve ser instalado nem sequer foi escolhido. 

“Tem uns grupos políticos que, muitas vezes sem conhecimento do que estão fazendo protesto, são contra, mas eles nem conhecem o projeto e estão agindo contra nossa cidade”, disse.

LEI
A polêmica acabou mobilizando os vereadores da cidade. A Casa de Leis aprovou lei que proíbe a instalação de aterros sanitários a menos de 20 quilômetros da área urbana e também foi vetado o recebimento de resíduos de outros municípios. 

Uma emenda ao projeto estabeleceu ainda o prazo de cinco anos para a prefeitura de Rio Verde realizar estudos sobre os impactos ambientais e promover audiências públicas para debater com a população as soluções para os resíduos sólidos do município.

O prefeito vetou o projeto, mas os vereadores rejeitaram o veto e a lei deve ser promulgada.

Informações: https://www.correiodoestado.com.br