Plástico invade até as praias isoladas de Superagüi

Professor Resíduo
10:00:AM - 17/Sep/2018
Plástico invade até as praias isoladas de Superagüi
Projeto Meros do Brasil

17/09/2018| 10h00

Ambientalistas fizeram, no sábado (15), um mutirão de limpeza na ilha de Superagüi, em Guaraqueçaba, no Dia Mundial de Limpeza (World CleanUp Day).

Em pouco mais de duas horas, os 35 voluntários recolheram 124kg de detritos, sendo o maior volume de produtos plásticos. O lixo foi entregue para a prefeitura dar a destinar correta.

A atividade foi organizada pelo Projeto Rebimar contou com a parceria do Projeto Meros do Brasil, o ICMBio e a ONG Surf Seguro. Foi uma ação do World CleanUp Day.

A escolha da Superagüi foi porque a ilha é de difícil acesso para as pessoas, podendo-se chegar a ela apenas de barco. No entanto alguns fatores contribuem para a presença de resíduos nesse paraíso: o descarte incorreto de resíduos e produtos de matérias flutuantes, como plásticos, que podem chegar em lugares remotos através das correntes marinhas.

Esta foi uma ação inédita na ilha, que está dentro do Parque Nacional do Superagui, e conta com 40 quilômetros de praias desertas e florestas intocadas.

World CleanUp Day
Setembro foi escolhido como o mês internacional dos mutirões de limpeza de praia, o World CleanUp Day. No dia 15 de setembro 150 países estarão mobilizados para 24 horas de limpeza e o objetivo é conscientizar a sociedade sobre o descarte irregular de resíduos sólidos urbanos que vão parar nos rios e oceanos.

O Projeto Meros do Brasil, patrocinado pela Petrobras participou do Dia Mundial de Limpeza com uma série de atividades em vários estados do Brasil. No Paraná, também foi feita limpeza da praia no balneário de Pontal do Sul, em Pontal do Paraná, em parceria com a ONG Marbrasil. Em Santa Catarina foi na Praia Grande, dentro do Parque Estadual do Acaraí, em São Francisco do Sul, em parceria com o Instituto Comar.

Em 2050, poderá haver mais plástico do que peixes nos oceanos
“Nosso mundo está sendo inundado por resíduos plásticos prejudiciais”, afirmou o secretário-geral da ONU. “Todos os anos, mais de 8 milhões de toneladas acabam nos oceanos”.

Se as tendências atuais continuarem, em 2050 nossos oceanos terão mais plástico do que peixes, disse o secretário.

Ainda de acordo com a ONU, a taxa média global de reciclagem de plástico é de 25%, o que significa que um volume enorme de lixo plástico vai parar nos oceanos — e, muitos desses resíduos são garrafas descartáveis de água. São necessários pelo menos 450 anos para que uma garrafa plástica se decomponha e desapareça do meio ambiente.

Informações: Projeto Meros do Brasil, https://www.correiodolitoral.com