Lixo urbano de Curitiba terá novo sistema de funcionamento a partir de 19/11

Professor Resíduo
12:30:PM - 17/Nov/2018
Lixo urbano de Curitiba terá novo sistema de funcionamento a partir de 19/11
(Foto: Cesar Brustolin/SMCS)

17/11/2018| 12h30

Curitiba e outros 22 municípios que integram o consórcio intermunicipal para a gestão do lixo urbano terão um novo modelo de concessão para tratamento e disposição de resíduos sólidos. O sistema será apresentado na segunda-feira (19) em uma audiência pública.

O novo modelo prevê um sistema integrado e descentralizado de tratamento do lixo comum (excluindo o material da coleta seletiva) desde a recepção, triagem mecanizada, transbordo, transporte secundário, tratamento dos resíduos e disposição final. A licitação tem um prazo de 27 anos e valor máximo de R$ 2.279.268.105,00.

Em comparação com o atual modelo de transbordo e destinação do lixo, nos aterros sanitários na Cidade Industrial de Curitiba e em Fazenda Rio Grande (que têm vida útil de oito anos), o custo do serviço chegaria a R$ 3.452.269.483,31 para o mesmo prazo. No modelo proposto para a nova licitação, será de R$ 3.315.963.717,28, uma economia de R$ 136 milhões, em 25 anos. “Foram estudados 22 cenários diferentes. Chegamos nesse melhor modelo com ganho financeiro e ambiental”, explicou a secretária municipal do Meio Ambiente.

A metodologia pretende reduzir em 57% os resíduos dispostos em aterros sanitários no prazo de cinco anos. Para 10 anos, o objetivo é de que apenas 10% do que é considerado rejeito seja despejado em aterros. Além disso, a nova modalidade de tratamento deve gerar economia de recursos elétricos e hídricos, além de levar ao aproveitamento energético, com a produção de biodiesel e biogás. O objetivo é diminuir as distâncias percorridas com o lixo em caminhões e melhorar o aproveitamento do material recolhido.

Informações: Câmara Municipal de Curitiba, https://massanews.com