RIO: com quase R$ 80 milhões de dívida, concessionária reduz transporte de lixo

Professor Resíduo
12:30:PM - 01/Apr/2019
RIO: com quase R$ 80 milhões de dívida, concessionária reduz transporte de lixo
https://redetvwebmais.com

01/04/2019| 12h30

Por falta de pagamento da prefeitura, empresa vai interromper transporte de resíduos para aterro de Seropédica

O excesso de lixo causa transtornos diários para milhares de cariocas. Em todas as regiões da cidade, pilhas e pilhas de resíduos se acumulam diariamente.

A dívida de R$ 72 milhões coloca em risco o tratamento do lixo do município do Rio. A Ciclus, concessionária responsável pela operação do Aterro Sanitário de Seropédica, informou que reduziu a partir de hoje a frota de transporte de resíduos para o local por não ter como arcar com o combustível.

A empresa diz há repasses atrasados da prefeitura do Rio para a empresa desde 2017. Caso a inadimplência continue por mais alguns dias, acrescenta a companhia, haverá "comprometimento sério" na operação do aterro sanitário, responsável pelo lixo de, aproximadamente, 10 milhões de habitantes da cidade do Rio e de outros quatro municípios.

A Ciclus conta com cerca de 100 carretas que faz o transporte entre as estações de transferência, no Rio, e a CTR (Centro de Tratamento de Resíduos) de Seropédica. Cerca de 70% dessa frota responsável pelo transporte de resíduos está parada. No município do Rio, após a coleta domiciliar, a Comlurb encaminha os resíduos para as cinco estações de transferência existentes no município (Caju, Marechal hermes, Bangu, Santa Cruz e Jacarepaguá).

"A situação é, portanto, gravíssima e insustentável. Atividades importantíssimas estão com iminente risco de paralisação e podem resultar em riscos severos, dada a impossibilidade de finalização de nova célula para disposição de resíduos, a interrupção do transporte e tratamento externo e interno de chorume, bem como o transbordo e o transporte de resíduos", afirma trecho da nota da empresa, que acrescenta ser "imprescindível o abastecimento semanal de grande quantidade de diesel, cuja inadimplência (da prefeitura) implica em imediata suspensão no abastecimento".