AM: Ministério Público vai investigar empresas por descarte de lixo em área de floresta

Professor Resíduo
01:30:PM - 01/Apr/2019
AM: Ministério Público vai investigar empresas por descarte de lixo em área de floresta
(Foto: Reprodução) - https://amazonasatual.com.br

Cinzas de lixo incinerado em área de floresta urbana

01/04/2019| 13h30

O Ministério Público do Estado do Amazonas (MP-AM) vai abrir inquérito para apurar descarte de lixo em áreas de floresta em Manaus por empresas terceirizadas que prestam serviços para fábricas do Distrito Industrial de Manaus.

O promotor informou que a investigação deve descobrir quantas e quais empresas fazem o descarte irregular de lixo em florestas urbanas.
Uma das áreas apontadas pela denúncia fica no bairro Colônia Terra Nova, na zona norte de Manaus, e outra no bairro Jorge Teixeira, na zona leste.

Moradores também denunciaram que o lixo é queimado e tem causado problemas de saúde.

Na Colônia Terra Nova, imagens aéreas mostram sinais de queimada de lixo em área que pertence a empresa que está sendo investigada. Segundo os moradores, trata-se das cinzas do lixo que é incinerado de madrugada, quando não há fiscalização.

Os moradores do bairro afirmam que a fábrica era de reciclagem, mas há pouco tempo passou a fazer queimada de lixo e a fumaça prejudica a saúde de crianças e adultos que moram próximo do local. “É um incômodo total. Essa empresa tem trazido muita dificuldade”, disse o industriário Nilo Saldanha, que mora próximo ao local.

De acordo com o Portal da Transparência do Governo do Amazonas, a empresa investigada tem contrato de três meses (de dezembro de 2018 a março de 2019) com o Estado para serviço de coleta de resíduos no valor de R$ 45,3 mil. Em 2018, ela teve contrato emergencial para prestação de serviço de transporte e destinação final de resíduos dos serviços de saúde do Hospital Zona Norte.

No bairro Distrito Industrial II, imagens aéreas mostram um líquido preto escorrendo sobre uma ribanceira próxima a um pequeno curso d’água no meio da floresta. De acordo com a denúncia, trata-se de descarte irregular de lixo.

Para o chefe de fiscalização do Ipaam (Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas) há fortes indícios de poluição hídrica e atmosférica, que são crimes ambientais. Nessa semana, o órgão realizou ação de fiscalização no local, mas não encontrou as cinzas do lixo que aparece nas imagens registradas na semana anterior no bairro Colônia Terra Nova.

Na empresa suspeita, o Ipaam diz que constatou resíduos sólidos e irregularidades e que vai analisar amostra do solo, da água e o incinerador da empresa, que foi notificada e as áreas apontadas serão alvos de fiscalizações contínuas. Caso seja constatado a prática irregular de descarte de lixo, as empresas podem perder a licença.