Santa Catarina lança programa para impulsionar o uso de energia limpa no Estado

Professor Resíduo
09:46:PM - 25/Jun/2015
Santa Catarina lança programa para impulsionar o uso de energia limpa no Estado
Google

Centro Administrativo de SC

Estado ganha 10 novas PCHs e aposta na geração limpa de energia
Programa incentiva pesquisa e produção sustentável da matriz energética de SC

Para driblar a crise e aproveitar o potencial catarinense de geração energética, o governo de Santa Catarina lançou em 24/06, o SC+Energia - Programa Catarinense de Energias Limpas. O objetivo é impulsionar a atividade econômica do setor, gerando riqueza e mais empregos, ampliando o desenvolvimento e a eficiência energética do Estado. “Vamos aproveitar um potencial natural para gerar empregos e desenvolver a economia, fazer um enfrentamento direto à crise de energia que o Brasil vive. Afinal, subiu muito o custo, pois estamos usando essencialmente a energia térmica, que tem um valor muito alto. Incentivando esses novos projetos, vamos contribuir decisivamente para aumentar a nossa eficiência energética”, salientou o governador Raimundo Colombo.

O foco do programa SC+Energia está em projetos de fontes renováveis como hidrelétrica, eólica, solar e biomassa. O governador Raimundo Colombo anunciou também a liberação de licenças ambientais de 10 pequenas centrais hidrelétricas (PCHs) no Estado.

O governo pretende aumentar a capacidade de geração em até 1 mil megawatts (MW) de energia considerada “limpa” nos próximos anos. Colombo disse que o objetivo é ampliar a geração e preservar o meio-ambiente. “É importante reforçar que vamos fazer as mudanças com rigor ambiental. Apenas de pequenas centrais hidrelétricas (PCHs), a Fundação do Meio Ambiente do Estado (Fatma) possui mais de 400 pedidos de licenças. Para ajudar a desafogar o trabalho, 28 novos servidores foram nomeados ao órgão”, explica o Governador.

O SC+Energia, coordenado pela Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável (SDS), reúne diversos órgãos e entidades do governo estadual. A ideia é fortalecer principalmente as energias consideradas limpas e renováveis.

Entre as 10 PCHs liberadas, duas ficam em Taió, no Alto Vale do Itajaí. Pertencem à Heidrich, empresa do setor de papel. Apesar de já estarem operando com capacidade de 2,5 MW, a licença ambiental de operação (LAO) vai permitir a venda da carga excedente para as Centrais Elétricas de Santa Catarina S.A (Celesc). “As duas usinas já estão funcionando, mas sem a LAO não podíamos vender a carga excedente. Agora, caso sobre algo no fim do mês, temos a opção de vender para a Celesc”, explica Márcio Betti, diretor-administrativo da Heidrich.

O Estado tem 68 projetos de PCHs já com licença para instalação (LAI) e 40 à espera dessa licença. Há, ainda, 130 projetos de PCHs, 96 empreendimentos com licença de operação emitida e 17 unidades, entre eólicas e fotovoltaicas, requerendo licença ambiental prévia (LAP).

Parte do programa prevê o incentivo para empresários que pretendam investir em pesquisa e produção de energia com matrizes limpas. O Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) deve disponibilizar R$ 1 bilhão nos próximos seis meses para essa finalidade. “São linhas de crédito com taxas de juros de 6% e 6,5%, fixas. No caso das PCHs, o prazo de pagamento chega a 20 anos”, conta Nelson dos Santos, superintendente do BRDE em SC.

Além das potencialidades naturais do Estado, espalhadas por diferentes regiões, o programa representa, também, oportunidade e estímulos às indústrias no desenvolvimento de pesquisas sobre novas tecnologias de geração de energia solar, como as experiências da Tractebel Energia e da WEG Motores em Capivari, e energia eólica, também em experiências que se multiplicam em solo catarinense.

Ilustração: Diário Catarinense

Informações: Abeeólica, Diário Catarinense, Governo do Estado